O que é insuficiência venosa?

Insuficiência venosa pode ser definida como dificuldade do fluxo venoso de volta para o coração. Quando isso ocorre nas extremidades inferiores, a reabsorção normal dos líquidos e de pressão é afetada, resultando em acúmulo de líquido. Isso acarreta edema e menor oxigenação. Essa ruptura do fluxo vascular e linfático normal para as extremidades inferiores pode resultar em dor, cãibras (especialmente à noite), sensações de desassossego, alterações pigmentares, dermatite e ulceração.

A doença venosa é um problema estético?

Foi estimado que entre 17 e 50% das pessoas com veias varicosas exibem achados cutâneos. Quase todos os pacientes com anormalidades cutâneas possuem incompetência de veias perfurantes. A manifestação cutânea aparece como edema, hiperpegmentação, dermatite ou ulceração. Assim sendo, as veias varicosas e microvarizes das extremidades inferiores não produzem apenas preocupação estética, mas representam também um problema médico generalizado e potencialmente sério.

A insuficiência venosa pode gerar manchas?

A hipertensão venosa não é uma condição benigna. É considerada na seguinte ordem temporal: edema localizado, endurecimento, pigmentação, dermatite, atrofia branca e, nos casos sem tratamento, eventual ulceração, infecção, cicatrização, obstrução linfática e sensibilização às medicações aplicadas.

A pigmentação pode ser causada somente pela doença venosa?

A pigmentação também é um sinal de doença venosa. Até mesmo pequenas contusões podem acarretar a ruptura da parede vascular com extravasamento de sangue para dentro da pele.

Qual o principal fator de pigmentação nas varizes?

Certamente, a insuficiência venosa é o principal fator das manifestações cutâneas das varizes.

O tratamento dessas pigmentações é feito com meias elásticas?

O único tratamento para essa condição é a correção da hipertensão venosa subjacente (escleroterapia e/ou cirurgia), incluindo meias para compressão graduada e elevação das extremidades inferiores. Felizmente, quando a hipertensão venosa é tratada, o escurecimento pigmentar desaparece gradualmente.

Essa pigmentação pode durar mais de um ano?

Sim. Inclusive podem ser decorrentes das varizes antes da escleroterapia.

Pessoas morenas são mais propensas a ter hiperpigmentação?

A pigmentação foi relatada como sendo mais comum e pronunciada nos pacientes com cabelos escuros e pele de “tonalidade escura”.

As complicações que a paciente relata são comuns e esperadas neste procedimento?

Lamentavelmente, como ocorre com qualquer técnica terapêutica, a escleroterapia comporta inúmeras sequelas indesejáveis e potenciais complicações. Os efeitos colaterais, que são bastante comuns e com certa frequência autolimitantes, incluem pigmentação cutânea perivascular, edema da extremidade tratada, uma explosão de novas varizes, dor com a injeção de certas soluções esclerosantes, urticária localizada sobre os locais injetados, bolhas ou foliculite causadas pela aplicação da compressão pós-esclerose, recidiva dos vasos previamente tratados, problemas relacionados ao estresse e hirsutismo localizado.

Durante a gravidez existe piora das varizes?

Muitos estudos epidemiológicos constataram um aumento significativo na incidência de veias varicosas em mulheres que estiveram grávidas. Durante a gestação, fatores hormonais são os principais responsáveis pela dilatação venosa. Até 70 a 80% das pacientes desenvolvem veias varicosas durante o primeiro trimestre quando o útero se apresenta apenas ligeiramente aumentado. Portanto, a primeira gravidez representa, provavelmente, o fator lesivo mais importante, com cada gravidez subsequente produzindo menor deterioração da função venosa. As influências hormonais podem explicar também por que as veias varicosas que se manifestam na gravidez regridem após o parto. Durante a gestação, as veias varicosas parecem ser mais sintomáticas que aquelas que não estão associadas à gestação.

É aconselhado retirar as varizes durante a gestação?

Alguns médicos aconselham a remoção das veias varicosas, para prevenir a trombose venosa pós-parto, com ausência absoluta de complicações, tanto para a mãe quanto para o bebê. A remoção pode ser feita entre o primeiro e o oitavo mês de gestação.

O polidocanol é um esclerosante seguro?

POLIDOCANOL é ímpar entre os agentes esclerosantes, pois sua injeção não produz dor e não acarretará ulcerações cutâneas até mesmo com a injeção intradérmica de uma concentração inferior a 1,0%. As reações alérgicas só foram relatadas raramente.

O aumento da sensibilidade nas pernas é comum em quem tem varizes?

A dor associada à inflamação das varizes costuma ser intensa, resultando, provavelmente, da inflamação da densa rede de fibras nervosas no tecido subcutâneo.

© 2017 ACCURA | Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Danielly Valente e Letícia Assad 2017